terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Meu problema com Tarantino


Ok. Vou dizer qual é meu problema com o Tarantino. Já vou avisando que não vi todos os filmes dele, mas ja vi alguns e andei acompanhando essa polêmica em volta do Django Livre, seu mais recente lançamento. Parte da polêmica está no fato de ele ter tocado no assunto delicado do período de escravidão nos Estados Unidos.

   E isso é parte de sobre o que eu quero falar. O que eu não gosto no Tarantino é que eu não me identifico com a abordagem que ele faz a violência nos filmes. Eu acho que uma abordagem bem mais realista e portanto convicente, seria algo como o Clint Eastwood fez em "Os Imperdoáveis", ou por exemplo, na série "Breaking Bad", que aliás é muito boa. O que esses filmes tem que o Taratino não tem? Esses filmes mostram as consequencias da violência na vida das pessoas e na sociedade de forma mais realista. O próprio Clint Eastwood disse que uma de suas motivações pra fazer "Os Imperdoáveis"foi a discrepância no fato de que um homem mata outro e depois vai pro saloom ou pra casa como se nada tivesse acontecido. Não é assim. Pelo menos imagino pra a maioria das pessoas normais, que não são psicopatas. A maioria das pessoas se chocaria e ficaria com algumas questões a serem resolvidas na sua mente ao presenciar uma cena de extrema violência. Eu e você somos assim. Imagino quantas pessoas não tem capacidade de se identificar com a dor e sofrimento de alguém sendo mostrada de forma explícita.

Eu entendo que o Trantino trabalhe naquele universo onde as reações não são reais. Em filmes de aventura, ou policiais, Filmes como Mad Max, A série Bourne, Duro de matar, etc... Mostram violência, mas não mostram as consequências psicológicas que isso causa nos imbatíveis heróis, e nem precisam, porque não é sobre isso que o filme fala, e isso iria fazer a história "fugir do tema". Eu acho isso válido. Mas e qual a diferença desses filmes paras os do Tarantino? Nos filmes que citei acima acho que a violência é na medida certa pra estabeler o que ela precisa na história. Pra que serve geralmente mostrar violência num filme:

-Mostrar que a situação é grave
-Mostrar que o vilão (ou outro personagem) é mau
-Mostar o sofrimento de alguém com quem você tem
que se importar na história
-Mostrar que quem mereceu o castigo foi
devidamente castigado.
-Ambientar um período ou época como Violenta.
-Ou no caso do tarantino, só porque é "legal".

O Tarantino usa isso muito acima do necessário, ele vai muito além de você já ter entendido todas essas situações. Horas depois que você entendeu, ele continua mostrando de novo e de novo. Em todo filme de ação, você vê os quatro primeiros motivos. Nos realmente bons, como Duro de Matar, por exemplo, eles são usados na medida certa. Porque não com o Tarantino?

Em "Batman o Cavaleiro das trevas", alguém deixou de entender que o coringa era perigoso e cruel?
Precisou mostrar sangue e tripas na tela pra isso?

E antes que alguém diga: "Na época da escravidão, os caras faziam coisas horríveis, ele só está sendo realista com o que aconteceu" (Jamie Fox saiu com essa pra justificar a violência, como se esse filme tivesse alguma pretensão de ser relevante como testemunho sério da história)

Em filmes como Ghandi, A lista de Shindler, ou o Resgate do soldado Ryan, que são testemunhos sérios da história, onde coisas terríveis aconteceram, não tinha tanta violência explícita  como nos filmes do tarantino. Não precisava.

Ele na verdade não se importa com o período histórico, ele só quer uma desculpa nova pra colocar seus personagens. Ele age mais ou menos como aquelas novelas da record. Já viram? Uma vez eu vi uma parte daquela novela alegada como "a única novela que se passa no período da ditadura militar no Brasil". A novela apenas usava essa ápoca como pano de fundo, seus personagens, sua trama, sobre oque ela falava, era a mesma besteira romântica de sempre.

Daí a bronca do Spike Lee, porque a "bola da vez" de ambientação do tarantino, caiu justamente no período de escravidão negra.  Lembrando que Spike Lee mostrou a violência dos bairros negros sem  derramar nem 1 copo de sangue cenográfico muito bem.

Ele mostra violência de forma muito explícita, ao mesmo tempo que reduz a reação dos personagens a quase completa inexistência. Esticando os dois lados da baladeira além de qualquer filme de ação- (Onde a violência é só o suficiente pra que oque a história pede) E também no lado da reação, indo até onde nenhum filme de terror geralmente vai (Onde você vê personagens horrorizados ao presenciar violência, geralmente vítimas). Nos filmes dele,  ninguém se importa com a violência, Com a crueldade, nada disso.

O ator Leonardo de Caprio afirmou que pediu a Tarantino pra mudar algumas coisas que achou pesadas demais no roteiro, e ele vinha de uma série de trabalhos com Scorcese!

Ele faz isso repetidas e repetidas vezes. É com isso que ele gosta de punhetar. Com pessoas frias, que não se importam, que matam por prazer e não tem identificação nenhuma.

É essa a grande inovação que ele trouxe pro cinema?

O que ele quer dizer com isso? Que isso é normal? É divertido?

Parece que é isso que ele sempre quer passar.

"Não estou chocado com isso, muito pelo contrário".

Eu cheguei a ver alguns desse filmes clássicos de velho Oeste que ele diz serem as bases dele, e não lembro de ter violência exagerada nesses filmes, e você podia entender bem quem era o fodão, quem era do mal, quem era cruel, etc.
 
Aliás ele faz tanta questão de reafirmar isso que não deixo de me perguntar se no fundo não é exatamente o contrário. Ninguém precisa dizer pra si mesmo uma coisa mil vezes se já está bem certo disso.

DJ